Veja o que falou Diego Aguirre após o empata contra o Bragantino

O empate do Inter com o Bragantino em 1 a 1, nesta quinta-feira (21), no Beira-Rio, colocou o time no G-6 pela primeira vez neste Brasileirão. O resultado, porém, poderia ter sido melhor, caso Bruninho não tivesse balançado a rede colorada no último lance deste jogo atrasado da 19ª rodada. O ponto somado foi digerido com gosto amargo pelo vestiário colorado, como revelou o técnico Diego Aguirre.

— O Bragantino jogou bem e às vezes nos defendemos perto da área, mas acho que fizemos um bom jogo. Acontece que tivemos perto de ganhar, que estamos mal, tristes, porque perdemos dois pontos muito importantes nos acréscimos. É normal sentir o empate como uma derrota — analisou o uruguaio na coletiva, revelando:

— Em outro momento é para comemorar, mas não hoje (quinta-feira). O time cresceu muito, vínhamos de cinco vitórias no Beira-Rio, queríamos mais uma. Mas estivemos tão perto e ficamos frustrados. No vestiário, falamos que não temos tempo para chorar. Estamos a dois dias de um jogo importante com o Corinthians. Temos de transformar essa dor em rebeldia, atitude e determinação para ganhar o próximo jogo. Não tem outra, precisamos ser fortes.

A equipe foi a campo com cinco desfalques: Edenilson e Heitor, suspensos, e Rodrigo Dourado, Daniel e Bruno Méndez, ainda sem condições de atuar por estarem com dores ou recuperando-se de lesão muscular. Na segunda etapa, as alterações promovidas pelo treinador descaracterizaram a equipe, com muitos jovens suportando a pressão dos paulistas.

— Rodrigo Dourado deve voltar. Sentiu hoje (quinta), mas não ficará fora do próximo. Precisamos de algumas horas para essa decisão, mas sabemos da importância dele em campo e ele quer jogar, quer ajudar dentro de campo — antecipou o treinador.

Assista a coletiva pós jogo de Diego Aguire