Relembre cinco viradas do Inter em competições de mata-mata

Após perder por 2 a 0 para o Flamengo, no Maracanã, o Inter terá de pelo menos devolver o placar para manter a esperança de seguir na Libertadores. Um 2 a 0 a favor do clube gaúcho no Beira-Rio, na próxima quarta-feira (28), levará a decisão para os pênaltis.

Para conseguir a classificação no tempo normal, o time de Odair Hellmann terá de vencer por pelo menos três gols de diferença. Vitória colorada por dois gols de diferença, mas sofrendo gols, dá a vaga aos cariocas.

O Inter nunca esteve na situação de precisar reverter uma derrota de 2 a 0 fora de casa na Libertadores. GaúchaZH, no entanto, relembra outros momentos em que o Colorado largou em desvantagem em mata-matas e contou com a força do Beira-Rio para obter a virada. Confira:

1) Fluminense (1992)
No ano em que conquistou a Copa do Brasil, em 1992, o Inter precisou virar no Beira-Rio a decisão contra o Fluminense. No jogo de ida da final, no Estádio das Laranjeiras, o Colorado perdeu por 2 a 1. Na volta, em uma partida tensa, o time treinado por Antônio Lopes levantou a taça com uma vitória de 1 a 0, no gol de pênalti de Célio Silva, e conquistou seu último título nacional no critério do gol marcado fora de casa.

2) Santos (1997)
Em 1997, o Inter então treinado por Celso Roth sofreu 2 a 0 do Santos, na Vila Belmiro, em jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Na volta, Arílson marcou dois gols, e o Colorado devolveu o placar nos 90 minutos. A decisão então foi para os pênaltis, em que brilhou a estrela de André. O goleiro defendeu duas cobranças e garantiu a festa no Beira-Rio com a classificação.

3) LDU (2006)

O Inter sofreu sua única derrota na Libertadores de 2006 na primeira partida das quartas de final. Na altitude de Quito, o time de Abel Braga perdeu por 2 a 1 para a LDU. Na ocasião, a competição teve uma parada em razão da Copa do Mundo, e apenas dois meses depois os times voltaram a se encontrar no Beira-Rio. Com gols de Rafael Sobis e Rentería, o Inter venceu os equatorianos por 2 a 0 e seguiu o caminho para conquistar a América pela primeira vez.

4) Banfield (2010)
O bicampeonato da Libertadores do Inter esteve ameaçado já nas oitavas de final. O Colorado enfrentou o Banfield, então recente campeão argentino, e perdeu por 3 a 1 fora de casa. Na volta, o técnico Jorge Fossati mudou seu estilo, escalou uma equipe ofensiva para buscar a virada e conseguiu. Com gols de Alecsandro e Walter, o Colorado venceu por 2 a 0, teve a vantagem no critério do gol fora de casa e seguiu rumo ao bi.

5) Santa Fe (2015)
Na última vez que disputou as quartas de final da Libertadores, o Inter também largou em desvantagem. O time treinado por Diego Aguirre levou 1 a 0 do Santa Fe, na Colômbia, e contou com um Beira-Rio lotado para obter uma sofrida classificação. O zagueiro Juan abriu o placar no começo do jogo e, nos minutos finais, o centroavante Rafael Moura fez o gol que confirmou a vaga na semifinal.