Ramírez revela qual foi o fator fundamental para a derrota do Inter

Miguel Ángel Ramírez admitiu que os erros individuais interferiram na derrota do Inter por 2 a 1 para o Deportivo Táchira de virada. No entanto, o treinador alegou que o cansaço, principalmente pelo gramado pesado do Pueblo Nuevo, em San Cristóbal, virou um adversário a mais.

O espanhol citou que o Inter teve as ações do jogo e abriu o placar com o pênalti convertido por Thiago Galhardo. Acredita, inclusive, que o time teve chances de até fazer um placar mais dilatado pelas oportunidades criadas. O que não ocorreu. O Colorado, então, sentiu o desgaste e cedeu o resultado.

– Em um campo que come a perna, é pesado. Fica mais nítido o cansaço. Estávamos dominando. Acredito que até poderíamos fazer o segundo, mas não fizemos. Em erros pontuais… Mas não só isso. Nos foram empurrando e (o campo) comendo a perna – justificou o treinador.

Ramírez foi questionado se o time esteve apático e rechaçou tal hipótese. O técnico reiterou que o cansaço atrapalhou e as condições do solo tiraram a lucidez do grupo para criar as jogadas e evitar os avanços do Táchira.

– Não estou de acordo que estivemos apáticos. Fomos muito superiores, mas caímos com o passar do tempo. Foi fruto do cansaço. Pesam as pernas, você não fica lúcido para tomar a melhor decisão. Não estivemos apáticos, mas cansados – argumentou.

Apesar do resultado negativo, o Inter soma seis pontos e segue em primeiro lugar no Grupo B da Libertadores. Na próxima rodada, o time de Miguel Ángel Ramírez enfrenta o Olimpia. A partida será disputada no dia 20 de maio, às 21h, no Defensores del Chaco, em Assunção.

Antes, no entanto, o Colorado concentra atenções no Gauchão. Neste domingo, a equipe começa a disputa da final do torneio. O Gre-Nal 431 ocorre às 16h no Beira-Rio.

Assista a entrevista com Ramírez após o jogo: