Programa “Bem, Amigos” revelou a nova camisa do Internacional

Taison Barcellos Freda, 33 anos, cria do bairro Navegantes, uma das comunidades com maior índice de vulnerabilidade de Pelotas, é o primeiro entrevistado da série Nossa Voz. O capitão do Inter viveu uma cena marcante em 2019, quando ouviu manifestações racistas da torcida do Dínamo de Kiev e chutou a bola na direção deles. Acabou até suspenso. Desde então, virou um líder na luta antirracista. Comemora seus gols com o braço para cima, punho cerrado. É referência no tema no futebol.

Na última semana, após um treino, ele atendeu a reportagem do Grupo RBS para falar do assunto. Em meia hora de conversa, relembrou o episódio na Ucrânia, deu conselhos aos jovens e ensinou caminhos para ajudar a causa.

O que é racismo para você?
Sofri na Ucrânia, mas pensei que nunca iria sofrer. Quando era muito pequeno, não entendia muito bem o que era isso e deixava passar. É uma coisa que sempre me magoou e me magoa até hoje. Então fico muito feliz por estar à frente disso para muitas pessoas. Muitas pessoas passam por isso e escondem o racismo. Quero ser alguém para se inspirarem. Estou brigando por uma causa muito difícil, que as pessoas passam no seu dia a dia, na hora de ir trabalhar, de entrar em uma loja, e o segurança te seguir até o final.

Na noite desta segunda-feira, no SporTV, o programa “Bem, Amigos” revelou a nova camisa do Internacional. O modelo em homenagem ao Dia da Consciência Negra apareceu pela primeira vez ao público, confira no vídeo abaixo: