Inter planeja retorno de Taison em até dois anos

O Inter trata como inviável o retorno de Taison em 2019. Capitão e referência técnica do Shakhtar Donetsk, o atacante de 31 anos dificilmente será liberado pelo clube ucraniano. Nos bastidores, no entanto, os dirigentes colorados trabalham com a ideia de repatriar o atleta perto de junho de 2021, quando expira o seu contrato com o time Europeu.

Há nove anos na Ucrânia, Taison deseja retornar ao Beira-Rio. Segundo revelou o seu amigo D’Alessandro, “vontade (de voltar) ele tem de sobra”, tanto que chegou a tentar a liberação para um empréstimo de pelo menos uma temporada. No entanto, o presidente do Shakhtar, Rinat Akhmetov, profundo admirador do futebol do jogador, vetou a ideia.

A direção do Inter entende que uma compra em definitivo dos direitos do atleta só seria possível por um valor superior a 10 milhões de euros (R$ 40,3 milhões), cifras consideradas impraticáveis para a atual realidade financeira colorada.

Revelado pelo Inter, Taison foi negociado em agosto de 2010 com o Metalist-UCR, por cerca de R$ 14 milhões, logo após participar da conquista da Libertadores. Com a camisa colorada, ganhou também a Copa Sul-Americana 2008 e o Gauchão 2009. Em 2012, foi adquirido pelo Shakhtar por 15 milhões de euros.

No seu atual clube, o atacante conquistou quatro vezes o Campeonato Ucraniano e cinco vezes a Copa da Ucrânia. Em 2018, foi convocado pelo técnico Tite para defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo.

Em junho de 2019, Taison encerrará o seu contrato com o Shakhtar e terá 33 anos. Mas talvez não seja necessário esperar tanto. Seis meses ou um ano antes do fim do vínculo, a possibilidade de liberação para o Inter já será mais fácil. Então, o caminho estará livre para o tão sonhado retorno ao Beira-Rio.