Inter emite nota oficial sobre utilização de vacinas covid-19 oferecidas pela Conmebol

O Inter não deve imunizar seu grupo de jogadores com as vacinas oferecidas pela Conmebol. A direção colorada divulgou uma nota nesta terça-feira (18) reafirmando que vai respeitar o Plano Nacional de Imunização (PNI) do SUS e do Governo Federal brasileiro. O time tem viagem marcada para o Paraguai, onde enfrentará o Olimpia, na quinta-feira (20), pela Libertadores.

“O Internacional está mantendo contato permanente com a CBF, onde está em tratativa a inclusão dessas vacinas direcionadas aos clubes brasileiros no Plano Nacional de Imunização já existente. Assim, todos os atletas do Clube, e não somente o plantel que se deslocará ao Paraguai nesta quarta-feira (19), seriam imunizados com primeira e segunda doses. Diante dessa possibilidade, tendo o aval do Ministério da Saúde e secretarias de saúde estadual e municipal, o Internacional irá aguardar pela vacinação a ser feita no Brasil”, escreveu o clube em nota oficial.

A entidade máxima do futebol continental tem aproveitado a presença das equipes em Assunção para aplicar as doses correspondentes do imunizante. Até agora, dos clubes brasileiros, apenas Atlético-GO e Atlético-MG vacinaram seus atletas e comissões técnicas quando foram ao Paraguai.

Confira a nota oficial divulgada na íntegra:
O Sport Club Internacional informa que, desde o começo da pandemia, vem seguindo todos os protocolos de saúde estabelecidos pelos governos federal, estadual e municipal. Tanto que, rigorosamente, submete a testes os jogadores, a comissão técnica e o staff que acompanha diariamente o grupo.

Além disso, diante da iniciativa da CONMEBOL em vacinar as delegações dos clubes participantes de suas competições, o Internacional está mantendo contato permanente com a CBF, onde está em tratativa a inclusão dessas vacinas direcionadas aos clubes brasileiros no Plano Nacional de Imunização já existente. Assim, todos os atletas do Clube, e não somente o plantel que se deslocará ao Paraguai nesta quarta-feira (19), seriam imunizados com primeira e segunda doses.

Diante dessa possibilidade, tendo o aval do Ministério da Saúde e secretarias de saúde estadual e municipal, o Internacional irá aguardar pela vacinação a ser feita no Brasil.