De Pena desabafa após marcar o gol da vitória do Inter

1025

Em uma noite emocionante no Estádio Francisco Noveletto, o Inter voltou a brilhar sob os holofotes do Gauchão. Carlos De Pena, após um período de cinco meses sem balançar as redes, tornou-se o herói da partida ao marcar o único gol do confronto contra o São José, garantindo não apenas a vitória, mas também a liderança no campeonato.

O gol de De Pena, vindo de uma cobrança de pênalti, foi um alívio para o atacante e para toda a equipe, que lutou arduamente durante os 90 minutos. Em um jogo marcado por muita determinação e desafios, o Inter mostrou sua força e superou as adversidades do gramado sintético, que apresentou um desafio adicional para os jogadores.

Após o jogo, De Pena expressou sua satisfação com o resultado e destacou a importância da vitória para o time: “O gol é significativo, mas o mais importante é a vitória da equipe”.

Ele também reconheceu a dificuldade de jogar em um campo tão diferente do habitual, mas ressaltou a capacidade de adaptação do grupo colorado.

Com a liderança no Gauchão novamente em mãos, o Inter olha para o futuro com otimismo, ciente dos desafios que virão pela frente. Mas, por enquanto, celebra-se a vitória e o fim do jejum de gols de De Pena, que mostrou que, mesmo após um período de seca, a qualidade e a determinação prevalecem.

— Acho que é difícil planejar quando não está acostumado a jogar nesse tipo de campo. É um campo diferente. Tem campos sintéticos no Brasileiro, mas esse é diferente. A bola anda de uma forma diferente. É difícil planejar. Estamos acostumados a outro tipo de campo, no Beira-Rio, onde a bola corre muito mais fácil. Mas faz parte do futebol. A gente tem que se adaptar rápido.

— O time brigou o jogo todo para conseguir os três pontos num campo difícil. Mas o mais importante era a vitória para conseguir a liderança. Sabemos que o Gauchão é campeonato difícil e que precisamos jogar nesse tipo de campo. São jogos muito difíceis e o time brigou para conseguir o resultado. A liderança é importante para pensar no futuro, na classificação e no mando de campo — criticou.

Assista a Entrevista com De Pena