Ao ouvir áudio do VAR, presidente do Inter revela mudou de ideia e expulsou Rodinei

Nesta segunda-feira (22), dia seguinte à derrota por 2 a 1 para o Flamengo, o presidente do Inter, Alessandro Barcellos, visitou a sede da CBF para ouvir o áudio da conversa do árbitro Raphael Claus com o VAR na hora da expulsão do lateral Rodinei. O mandatário colorado expressou a indignação do clube com a arbitragem no Maracanã.

— A expulsão do Rodinei foi decisão do VAR. A interpretação do Raphael Claus na hora é de que o lance foi acidental. O bandeirinha também falou que o lance foi acidental. Mas aí o árbitro do VAR disse que não. Então, o Claus olhou as imagens e foi convencido pelo VAR. Essa comunicação precisa ser melhorada. A interpretação em um lance com imagem aberta é uma. Com imagem fechada, é outra. Expressamos a nossa indignação — disse Barcellos nesta segunda, após tomar conhecimento do conteúdo do áudio na sede da CBF.

O presidente colorado também mostrou ao diretor da Comissão de Arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba, uma série de imagens de outras partidas em que, em lances similares, Raphael Claus não aplicou o cartão vermelho.

O dirigente pediu que a arbitragem seja profissionalizada e que a comissão aproveite as imagens de lances já existentes para padronizar os critérios.

— Com o banco de dados que o VAR tem de 2019 até agora, há exemplos claros para padronizar os critérios. Senão, continuaremos tendo esse problema. Se um árbitro pensa que é amarelo e outro pensa que é vermelho, aí vai ter o cartão laranja? Tem que padronizar — protestou.

Além da conversa com Gaciba, Alessandro almoçou com o presidente da CBF, Rogério Caboclo, em uma reunião institucional e encontrou também os presidentes do Flamengo, Rodolfo Landim, e do São Paulo, Júlio Casares.