Abel Braga derrama lágrimas e desabafa após jogo contra o Corinthians

Abel Braga revelou que depois do empate com o Corinthians em 0 a 0 houve lágrimas nos vestiários. Segundo o treinador, todos lamentaram muito o que aconteceu em campo, com o Inter perdendo a chance de ganhar o título do Brasileiro, já que o São Paulo derrotou o Flamengo.

“Não sei se pela televisão dá para ver a cor dos olhos, foram só lágrimas nos vestiários. A dor não é só porque não levamos algo que todo colorado quer e espera há 41 anos, não. Nos tiraram semana passada, ali sim existia vantagem e opinião unanime, viram o que houve”, começou Abel.

O treinador ainda questionou as decisões da arbitragem no jogo de hoje contra o Corinthians.
“A bola que o Cassio soltou ele apitou antes, marcou falta, falta de quem? É duro porque houve uma entrega absurda, uma entrega anormal, uma entrega fantástica dos jogadores, minha equipe jogou muito bem. Nós tivemos domínio, possibilidades, situações discutíveis [de arbitragem] e vamos lamentando. Foram duas derrotas em dois jogos em que tivemos jogadores a menos. Fato que também lamentamos, principalmente no último domingo, mas a vida vai seguir. Sem constrangimento”, afirmou.

Hoje foram três gols anulados do Inter. Sendo que um no último minuto de jogo. E ainda um pênalti que foi marcado, revisado e cancelado.

“Se ele deixa a jogada seguir, a gente teria uma chance clara de gol. Então parou a nossa jogada, marcou o pênalti e nos tirou o pênalti”, afirmou. “Houve erros de forma exagerada de arbitragem. Mas não quero falar que foi isso ou não”, completou.

Por fim, Abel Braga confirmou sua saída do Inter. A direção do clube tem acerto com Miguel Ángel Ramírez para a temporada que vem.

“Ficou decidido que eu ficava até hoje. Se até hoje não teve qualquer mudança, com certeza para mim foi último jogo. Mas não fica qualquer tipo de… A direção procura o melhor para o clube. No momento que a relação com eles, de quase três meses, se estreita muito bem, eles têm agido da melhor maneira possível e desejo uma ótima administração para todos. E que possam, com quem vier, dar uma ênfase ainda maior, e conseguir mais resultados. O trabalho foi muito, muito bom. Fico feliz de ter mais uma vez representado o Inter de uma maneira digna, verdadeira e real, de me doar, é o que eu fico e levo como foi nas outras vezes, e cansei de falar em alguns momentos, meus melhores amigos foram feitos em Porto Alegre”, disse.

“Saio orgulhoso das pessoas com quem trabalhei, aquilo que conquistei e mais uma vez saio dando um até breve, até logo, não sei. Futebol a gente nunca sabe o futuro, não sabemos o que acontecerá amanhã. Então, fica o legado, isso é mais importante”, acrescentou. “Eu me sinto orgulhoso pelo que eu fiz, e esses jogadores têm que se sentir orgulhosos, conseguiram resgatar uma confiança que o torcedor tinha perdido, isso foi muito bom”, finalizou.

Abel ainda foi presenteado com uma placa, pois nessa passagem entrou para história como técnico com mais jogos no comando do Inter na história.

“Fica um legado bom, um trabalho legal, prazeroso, sem qualquer tipo de problema. Mas fica a dor. A dor. Mais uma vez um vice-campeonato, terceiro vice-campeonato com o Inter. Teve 2006, o do Bahia [1988], e agora. Eu sei que pelas conquistas mais importantes eu deixei muita esperança no torcedor, e consegui um legado, criar na minha vida, pela lisura, acho que pela minha lealdade ao clube consegui algo que nem em sonho pensaria que iria acontecer, e veio a acontecer no Inter, clube que eu respeito e amo. Levei uma placa maravilhosa para casa hoje, são 340 jogos, o treinador que mais dirigiu o clube na história. Isso para mim foi mais do que tudo, definitivamente entrei para história deste clube”, concluiu.

Assista a entrevista com Abel após o jogo contra o Corinthians