A opinião de Mauricio Saraiva sobre o Grenal histórico da Libertadores

O primeiro clássico de Libertadores terminou vexatório, triste, patético. Jogadores profissionais se comportaram como amadores jogando por cerveja.

As direções precisam punir com multa os expulsos. Todos os expulsos. Não pode ficar de graça para quem apatifou o primeiro Gre-Nal de Libertadores.

Enquanto houve futebol, o Inter foi melhor do que o Grêmio dois terços da partida. Bola retida na frente, troca de passes na vertical e coragem de atuar como se não fosse a Arena. Grêmio melhorou com Jean Pyerre, Inter melhorou com D’Alessandro.

Agora para por tempo indeterminado por Coronavírus e a imagem que nosso clássico deixou para o mundo foi de um monte de Barbados trocando socos como numa briga de bar. Parabéns aos envolvidos.

– Por Mauricio Saraiva